quarta-feira, 13 de abril de 2011

O problema na formação de empreendedores no Brasil


Eu estou postando esse texto somente hoje, ele foi escrito ontem dia 12/04/2011 durante uma aula "interessante" na faculdade de engenharia.
Analisando criticamente o perfil dos alunos, professores e todos envolvidos na formação universitária da faculdade que eu estudo fica fácil visualizar uma falha em nosso sistema de ensino quando trata-se de surfar nessa onda chamada empreendedorismo.

O modelo de ensino que nós temos no Braisil é aquele mesmo usado há 30 anos, na verdade são os mesmos livros, exercícios e em alguns casos, os mesmo professores e recursos estruturais de laboratório e sala de aula.

Totalmente atrasado, paramos no tempo quando trata-se de estruturar uma universidade, um curso de engenharia, que deveria ter foco na prática empreendedora, inovação, criação, está apenas preocupado com a solução de problemas em condições ideais. Os responsaveis por isso se esqueceram que nós estamos em um mundo real, muito longe do ideal.

Praticamente todos s dias, quando entro na internet para ler notícias, e buscar fonts e conteúdo para as postagens do blog, em sites como o Techtudo, G1 Notícias, UOL, BBC, Blogando Notícias, Época Negócios, Terra, Portal Exame, e nos Blogs Parceiros, eu me deparo com mais uma nova história de sucesso de algum empreendedor, seja um novo produto, processo, tecnologia ou a invenção e criação de uma nova empresa que se iniciou em um quarto ou garagem e que em pouco tempo conseguiu milhões de usuários/clientes, despertando interesse de investidores (Não necessariamente nessa ordem) e, com isso, após um ou dois anos, já fatura milhões de dólares anualmente.

Isso chama-se empreendedorismo, ele está embutido em tudo que consumimos, em tudo que usamos mesmo sem gastar dinheiro, posi há empresas que não precisam de nosso dinheiro, precisam apenas de nosso valioso tempo gasto utilizando algum de seus protudos gratuitamente (Google por exemplo).
O empreendedorismo está em tudo e acontece todos os dias.
Tudo que está em sua volta agora, nesse momento em que você lê esse post, têm por trás uma história empreendedora e isso é muito bom, o problema em relação às inovações que nós notamos nos dias de hoje, as notícias que eu leio todos os dias em busca de conteúdo para o blog, é que cem a cada cem delas acontecem fora do Brasil.

Nada é inventado aqui, nenhum software famoso, nenhuma rede social, aparelhos eletrônicos, celulares, tablets, mp3 players, games, e-readers, processadores, memórias, pen-drives, TV de LED, plasma, LCD, nada.... Por quê? 

DICA DO COLUNAS DE HÉRCULES
Ganhe dinheiro com o seu blog, site, rede social, twitter, etc. Afilie-se ao e-Grana e comece a monetizar a sua webpage.
No e-Grana você ganha R$2,00 a cada 1000 visualizações únicas de pop-unders e R$0,40 a cada 1000 visualizações únicas de banners.
Para conhecer essa plataforma de monetização, clique aqui.

4 Comentários:

Responder

Me faço a mesma pergunta.
O Brasil está longe desse quadro por motivos muito simples:
Falta de Investimento e falta de educação.
Em um país que se gasta mais para manter a câmara dos deputados que a verba de educação de muitos estados, ou que compra tecnologia que poderia ser facilmente produzida aqui ou que simplesmente vende minério de ferro para depois comprar chapas de aço, esse país não tem condições de inovar.
Vendemos matéria prima para todo o mundo, tudo o que é bom sai do país, as melhores frutas, sementes, carne.
E para piorar esse quadro possuímos a cultura de que nada que é fabricado aqui presta, quantas vezes já ouvi a frase "Só podia ter sido feito no Brasil". Aí entra a ignorância da população, acham que o público é do governo e não deles, preferem que outros pensem por eles.
Outra coisa que acaba com o empreendedorismo no Brasil é a falta de investimento em pesquisas, não é muito comum pesquisadores possuírem verbas de milhões de reais quando não é isso, são parados por alguma ong ou a igreja ou mesmo a burocracia e a falta de interesse. Na história do nosso país essas pessoas se multiplicam, Francisco João de Azevedo (Máquina de escrever), Roberto Landell de Moura (Rádio), Santos Dumont (Avião), Nélio José Nicolai (BINA - http://www.nelio.hpg.ig.com.br/patbinatexto.htm). Esses são alguns exemplos de como o Brasil não valoriza os seus inventores.

Responder

Ótimo comentário Rafael Freitas... no texto eu tentei resumir alguns falhas em nosso sistema brasileiro.. mas como você disse, há muita coisa errada. Se nós formos listar aqui problemas culturais e de educação que causam uma desvalorização de nossa economia dá pra fazer um TCC, uma tese de mestrado aqui... a coisa tá feia...

Responder

Com certeza Adriano, eu fico um tanto decepcionado com o desinteresse das pessoas pelo assunto, já que isso acaba afetando elas. Gostei do post gostaria que mais pessoas escrevessem sobre esse tema.

Responder

Otimo post... gostei mesmo.

somos educados para ter uma visao de que o valioso é um trabalho como servidor publico, que realmente (ou ilusoriamente) sao os mais bem pagos no nosso pais. Nao fomos criados para arriscar, criar, que é o que americanos ou europeus fazem.

Postar um comentário

Um bom blog não se faz pela quantidade e sim qualidade de seus leitores, só comente quando você realmente ler a postagem.

Deixe seu link no final do comentário caso queira me mostrar o seu blog, irei visitar, comentar e se gostar seguirei também.

Siga-me no Twitter: @c_hercules

TOP 10 POSTAGENS MAIS LIDAS

Receba nossos artigos por e-mail:

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More