segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Dilma, Serra ou Marina? Enquete, Pesquisa de Opinião sempre acerta?

Vote na Enquete e Comente o Post:




Quem nunca pensou o seguinte:
1- Poxa, se nas pesquisas já estão dizendo que o canditado Fulano de Tal já venceu com 58% dos votos (+/-2%), pra que teremos eleições então?

2- Basta perguntar para 2 mil pessoas para saber quem será o novo presidente da república ao invez de saber o voto de cada um dos 130 milhões de eleitores?

3- Ahh, nem vou votar naquele candidato que eu queria como presidente, pois segundo a pesquisa ele só tem 1% das intenções de voto, votarei então no Ciclano que está em segundo lugar nas pesquisas, pois não quero que o Fulano de Tal ganhe.

4- Eu não vou jogar meu voto fora, vou votar no Fulano de Tal mesmo porque ele já ganhou segundo as pesqusias, então votarei no vencedor.

Parece ridículo esse tipo de pensamento, mas eu garanto que conheço pessoalmente pessoas que pensam assim em todas as eleições, e acredito que vocês também conhecem ou já ouviram alguem fazer um comentário parecido com essas 4 frases acima.

Então, vamos conhecer um pouco mais sobre como funcionam essas pesquisas, as leis que as envolvem, casos de "erros" para podermos ter um voto mais correto, sem se influenciar pelas pesquisas eleitorais.


Como são feitas as Pesquisas da Empresa Ibope?
Em resposta ao site Infonet, a gerente regional da empresa, Kerma Toscano, respondeu:
-Temos diversas formas de fazer pesquisas, com várias metodologias diferentes. O que determina a que será utilizada será o objeto de análise e o tipo de estudo. Iniciamos com a seleção da amostragem, depois passamos para a coleta e análise dos dados, que pode ser eletrônica ou manual. Na maioria é utilizado um questionário no palm-top, onde são inseridos os dados, que depois são passados para o computador e tabulados. Também temos entrevistas feitas por telefone que funcionam da mesma forma: o entrevistador faz a pergunta e automaticamente passa as respostas para o palm-top. Uma outra forma são os painéis, que não exigem a presença do pesquisador. Essa forma de fazer pesquisa é utilizada principalmente para a televisão e internet. Inserimos o painel na televisão e ele irá registrar os gostos e interesses dos telespectadores, assim como quanto tempo assistem televisão e etc. Nesse caso, selecionamos um grupo de domicílios que passa a colaborar com a pesquisa. Na internet o painel não é um aparelho, mas sim um programa. No caso especifico das pesquisas políticas é feito por uma amostra de eleitores. É escolhida uma amostra representativa, selecionada de acordo com critérios estatísticos baseada em dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), dos Tribunais Regionais Eleitorais (TRE`s) e Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o universo a ser analisado dentro da realidade. As entrevistas são feitas de modo geral nos domicílios, escolhendo grupos específicos , que tenham um determinado perfil. Também temos a pesquisa de boca de urna, que é aquela feita no dia da votação e nas seções com quem já votou.
Quanto Custa uma Pesquisa Eleitoral?
O Ibope calcula o preço de acordo com o que atende melhor o cliente e do que ele quer saber. Nas pesquisas eleitorais as variáveis geralmente são: a amostragem utilizada, o tamanho do questionário e a análise dos resultados. No caso de uma pesquisa nacional, com uma amostra de 2 mil pessoas e um questionário com umas 20 perguntas, pode custa até R$ 85 mil.

Porém nem sempre essas pesquisas acertam o resultado, além de variar muito no período de campanha e na pesquisa de boca de urna, mesmo com uma margem de erro considerada segura, aconteceram muitas vezes de o candidato eleito não ser o que apontavam nos resuldados das pesquisas.

Em Bauru-SP, quando eu estava lá, o candidato eleito para o cargo de Prefeito do municipio, foi um que estava em terceiro lugar nas pesquisas.
Outro caso conhecido aconteceu com o, ná época eleito, Senador Mercadante, que se elegeu senador por São Paulo com uma votação histórica: mais de 10,4 milhões de votos, a maior de todos os tempos no Brasil.
Na semana da eleição, o Ibope chegou a dar o deputado pelo PT ainda empatado com o ex-governador Orestes Quércia, abaixo do também candidato Romeu Tuma e pior: caindo um ponto, enquanto Quércia subia.

Mas o Mercadante ficou mais de 3 milhões de votos acima de Tuma.
 
As empresas alegam que, ao se tratar de eleições, muitos eleitores mudam de idéia conforme o andamento da camapnha, inclusive ocorrem " erros" na pesquisa de boca de urna.
 
Mas eu me pergunto então o porque eles divulgam os resultados parciais (é Tele-Sena?) avisando sua margem de erro e mesmo assim ainda acontece muitas vezes do resultado fugir para longe dessa margem de 2, 3 ou 4%?
 
É claro que existem metodologias matemáticas em estatísticas para fazer esse tipo de pesquisa de opinião, porém sempre que ocorrem esse erros eu fico na dúvida se há algum tipo de propaganda política escondida na divulgação dessas pesquisas. Sabendo que muitos, mas muuitos, eleitores são influenciados pelas porcentagens divulgadas nas pesquisas eleitorais, eu acerdito que essa seja uma forte arma de marketing para se utilizar em uma candidatura.
 
Porém a Lei não permite esse tipo de ação. (No final do post estará disponível o capítulo da lei eleitoral - LEI Nº 9.504, DE 30 DE SETEMBRO DE 1997)
 
E é ai que está o problema. Eu acredito que uma considerável fatia dos eleitores brasileiros, talvez até de um tamanho que possa decidir uma eleição, deveria conhecer mais os candidatos, ler suas propostas, plano de governo e tudo o que temos disponível no site do TSE Ao invez de se decidir apenas por um "gráfico pizza" divulgado no intervalo da novela.
 
LEI: Das Pesquisas e Testes Pré-Eleitorais


Art. 33. As entidades e empresas que realizarem pesquisas de opinião pública relativas às eleições ou aos candidatos, para conhecimento público, são obrigadas, para cada pesquisa, a registrar, junto à Justiça Eleitoral, até cinco dias antes da divulgação, as seguintes informações:

I - quem contratou a pesquisa;

II - valor e origem dos recursos despendidos no trabalho;

III - metodologia e período de realização da pesquisa;

IV - plano amostral e ponderação quanto a sexo, idade, grau de instrução, nível econômico e área física de realização do

trabalho, intervalo de confiança e margem de erro;

V - sistema interno de controle e verificação, conferência e fiscalização da coleta de dados e do trabalho de campo;

VI - questionário completo aplicado ou a ser aplicado;

VII - o nome de quem pagou pela realização do trabalho.

§ lº As informações relativas às pesquisas serão registradas nos órgãos da Justiça Eleitoral aos quais compete fazer o registro

dos candidatos.

§ 2º A Justiça Eleitoral afixará imediatamente, no local de costume, aviso comunicando o registro das informações a que se

refere este artigo, colocando-as à disposição dos partidos ou coligações com candidatos ao pleito, os quais a elas terão livre

acesso pelo prazo de trinta dias.

§ 3º A divulgação de pesquisa sem o prévio registro das informações de que trata este artigo sujeita os responsáveis a multa

no valor de cinqüenta mil a cem mil UFIR.

§ 4º A divulgação de pesquisa fraudulenta constitui crime, punível com detenção de seis meses a um ano e multa no valor de

cinqüenta mil a cem mil UFIR.

Art. 34. (VETADO)

Comente caso você conheça casos de eleitores que votam baseando-se nas pesquisas, erros cometidos por essas empresas ou qualquer outra informação que poderá acrescentar ao conteúdo desse post.

Até mais e Vote com responsabilidade !
Concorra a um Notebook clicando na imagem abaixo:
Para saber mais sobre a promoção clique aqui. Conto com o seu voto! Se você estiver participando com o seu blog, deixe o link de votação que eu visito e retribuo o voto.

7 Comentários:

Responder

Bom post Adriano!

Votar no segundo colocado para o primeiro não ganhar é burrice, pois não é a porcentagem de votos do segundo que determina se haverá ou não segundo turno, mas sim a do primeiro. É pior que falar que não vai votar em fulano pq está mal nas pesquisas.

Responder

Não sou muito ligada em eleições, não que eu seja uma alienada,acompanho, mas não desperta meu interesse. Gosto de acompanhar depois, durante os mandatos, as medidas, as ementas.

Responder

ah é uma decepçao esse negocio de politica, tá louco >.<
mas bom o post :)
isso ae pessoal, nao importa esse negocio de intençoes de voto, vote em quem voce achar que presta ae :x

http://medrops.com

Responder

@Nettow Obrigado, gostei do seu blog também, bem engraçado.

@Renan Bem observado, mas os dois casos são burrices. Abrir mão do seu direito de democracia é burrice..

@Gêsa Adorei seu blog viu, vou segui-lo.
É muito importante sim acompanhar o trabalho dos políticos eleitos.. só que é importante também saber escolher, pois depois de votado eles estarão lá por 4 anos representando agente, decidindo por nós...

@medropsgirl O blog do Medrops é bem legal, engraçado as tirinhas, você poderia mandar para alguma revista ou jornal...

Concordo com sua opinião. Devemos votar em nosso candidato preferido sem se influenciar por pesquisas de intenção de votos.

Responder

ótimo assunto...
A maioria das pessoas não tem ideia do que fazem ou penso, e das consequencias disso.
É sempre importante acompanhar a politica, acho tanto isso que cursarei na UNB ciencia politica. É sempre bom enetender bem o que se passa por trás d etudo que agente ve e não confiar inteiramente no que a TV nos diz.

Blog legal...

Vou te seguir... aqui e no twitter.

Da uma passada la no meu:
http://colunasdehercules.blogspot.com/

Responder

Nice dispatch and this enter helped me alot in my college assignement. Say thank you you as your information.

Postar um comentário

Um bom blog não se faz pela quantidade e sim qualidade de seus leitores, só comente quando você realmente ler a postagem.

Deixe seu link no final do comentário caso queira me mostrar o seu blog, irei visitar, comentar e se gostar seguirei também.

Siga-me no Twitter: @c_hercules

TOP 10 POSTAGENS MAIS LIDAS

Receba nossos artigos por e-mail:

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More