sábado, 6 de março de 2010

Saiba como escolher a melhor franquia para você

Com 1.460 redes e um faturamento bilionário, o setor de franquias atrai cada vez mais empreendedores. Mas é preciso cautela para encontrar o caminho certo nesse labirinto de números e informações
Confira a seguir um trecho da reportagem de capa que pode ser lida na íntegra na edição da revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios de março/2010, já nas bancas.


O curso de direito foi o caminho que o jovem Eduardo Bon Kersting Roque, 28 anos, escolheu para ter um diploma universitário. Mas, decididamente, advogar não era o que ele sonhava para o futuro. Enquanto cursava a faculdade, trabalhava na empresa do pai com o propósito de juntar dinheiro e abrir o próprio negócio. Sem experiência como empreendedor, resolveu apostar no franchising, em busca de mais segurança e do respaldo de quem já conhecia o mercado. Queria, como a maioria, uma franquia com investimento em torno de R$ 100 mil e retorno menor do que 24 meses. Por qua-se dois anos avaliou várias redes de alimentação até optar pela Cacau Show. Sem precipitação, conversou com mais de 50 franqueados da bandeira e fez várias visitas à fábrica. Em 2008, comprou uma franquia no bairro paulistano do Itaim, pelo valor de R$ 94 mil. Em menos de seis meses recu-perou o capital investido.
“No começo tudo é novo e complicado, tive de recorrer muitas vezes aos consultores da rede. Eles davam as ideias, como a busca de metas mensais de crescimento, mas eu tinha que pôr em prática e fazer mais”, afirma. Roque passou a estabelecer metas diárias de vendas e quando observava que os resultados estavam abaixo do esperado, não se intimidava. Pegava uma bolsa térmica e saía pe-las ruas promovendo a degustação dos produtos, fazia panfletagem em prédios, lojas e bancos da região e deixava sacolas com folders promocionais em bancas de jornal. Os resultados não demora-ram a aparecer. “Da média dos 30 dias do mês, hoje eu bato as metas em 23”, revela. “Em janeiro de 2010 as vendas foram 28% maiores em relação ao mesmo período de 2009, e o Natal, 50% me-lhor que no ano anterior.” Com menos de dois anos de operação, Roque já aparece na lista das lojas mais rentáveis entre as 750 franquias da Cacau Show, segundo o franqueador.

Apesar do pouco tempo de mercado, Roque é o exemplo do perfil de empreendedor que começou a ganhar expressão dentro das redes: boa formação cultural, muita informação do setor, disposição para crescer e boa gestão administrativa. São empresários com essa descrição que as franquias querem ter como parceiros. Candidatos é que não faltam. Só o portal da Associação Brasileira de Franchising (ABF) recebe mais de 90 mil visitas por mês, a maioria de gente disposta a abrir uma franquia. O que desperta o interesse de um número tão grande de pessoas é, sem dúvida, o ritmo de expansão do franchising. “Nos últimos três anos, o setor cresceu mais de 50%, bem acima da média do PIB do país, e de 2002 para cá o mercado dobrou de tamanho”, ressalta Ricardo Bomeny, presi-dente da ABF. Em 2009, as 1.460 redes, que somam mais de 80 mil unidades, alcançaram um fatu-ramento de R$ 63 bilhões. As estimativas para 2010 são de um incremento da ordem de 15%”

O crescimento não se restringe apenas às redes recém-chegadas ao mercado. Entre as bandeiras que mais abriram lojas segundo o Guia de Franquias, publicado pela revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios, estão marcas veteranas, como O Boticário e Localiza, com décadas de experi-ência, e outras mais jovens, porém consolidadas, como Cacau Show, Hering e Via Uno. Por esse motivo e também pelo fato de estarem abrigadas nos cinco setores que mais crescem (alimentação, beleza, moda, calçados e serviços)elas merecem destaque nesta reportagem. Foram abordados os casos de franqueados mais lucrativos.

O setor vive uma expansão acelerada, parece ter fôlego para crescer ainda mais nos próximos anos. O crescimento deverá ocorrer em direção aos pequenos e médios municípios do Sudeste e do Sul, em razão da saturação do mercado em grandes metrópoles como São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre, e para as regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste.

“Nas grandes cidades ainda há espaço para novos formatos de lojas, menores ou no modelo quios-que, instaladas em supermercados ou pequenos centros de compra. As versões tradicionais devem ganhar espaço com a abertura de novos shopping centers”, afirma Osvaldo Moscon, gerente execu-tivo de canal de vendas de O Boticário. O cenário é realmente favorável. Segundo a Associação Brasileira de Shopping Centers, 19 novas unidades serão inauguradas em 2010, três a mais do que em 2009. Em média, 75% das lojas das praças de alimentação são franquias, o que sinaliza muito espaço a ser preenchido.

COMENTE !!!
 

Apoio:

2 Comentários:

Responder

Parabéns pelo blog Adriano.
Excelente artigo. Em breve estaremos disponibilizando gratuitamente um serviço de comparação de dados de franquias para potenciais franqueados.
@comparafranquia
www.comparadordefranquias.com.br

Responder

Ainda acho que o mais lucrativo é montar um site de Compras Coletivas. No meu blog, http://www.postoseis.com.br/empreendedor eu mostro o passo-a-passo para a construção de um site de ofertas, com faturamento garantido e um mínimo de investimento.

Postar um comentário

Um bom blog não se faz pela quantidade e sim qualidade de seus leitores, só comente quando você realmente ler a postagem.

Deixe seu link no final do comentário caso queira me mostrar o seu blog, irei visitar, comentar e se gostar seguirei também.

Siga-me no Twitter: @c_hercules

TOP 10 POSTAGENS MAIS LIDAS

Receba nossos artigos por e-mail:

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More