quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Brasil ganha espaço e chega ao 10º lugar em preferência do investidor.

Antes de mais nada, eu gostaria de agradecer aos leitores que comentam sobre meus posts, vocês me ajudam muito na melhoria do blog, obrigado.

Relatório é da Sobeet, que acompanha empresas multinacionais. Economia brasileira se tornou mais internacionalizada que a da Rússia.





O fluxo de Investimentos Estrangeiros Diretos (IED) para o Brasil aumentou 30,3% em 2008 na comparação com 2007, para US$ 45,1 bilhões. Para o período, a média mundial foi de queda de 14,2%, para US$ 1,697 trilhão. O país passou a ocupar a 10ª posição no ranking mundial de ingresso de capitais.

A conclusão é do relatório sobre o volume de Investimento Estrangeiro Direto (IED) no mundo em 2008, elaborado pela Sociedade Brasileira de Estudos de Empresas Transnacionais e da Globalização Econômica (Sobeet) a partir de dados da Conferência das Nações Unidas para o Comércio e o Desenvolvimento (Unctad).

Entre as economias desenvolvidas, o fluxo de IED teve retração de 29,2%, para US$ 962,3 bilhões. Para as economias em desenvolvimento, o fluxo de investimentos aumentou 17,3% para US$ 620,7 bilhões e, para a América Latina, o crescimento foi de 13,2% para US$ 144,4 bilhões.
Internacionalização

Como eu já tinha citado no blog, o Brasil se tornou no ano passado a economia mais internacionalizada dos Brics, grupo de países emergentes que inclui Rússia, Índia e China, além do Brasil.

Na proporção entre o estoque de IED realizado e o Produto Interno Bruto (PIB) de cada país, o Brasil apresenta a melhor relação, de 18,3%. Foi a primeira vez que o país superou a Rússia na atração de investimentos comparativamente ao seu PIB. A Rússia, que até então liderava o ranking, teve investimentos equivalentes a 12,7% do seu produto interno em 2008.

Os investimentos na Índia corresponderam à proporção de 9,9% de seu PIB e na China, de 8,7%. Segundo dados da Unctad,a média de investimento estrangeiro no mundo em relação ao PIB global é de 26,9%, o que indica que há um potencial de crescimento considerável para o Brasil e os demais países do grupo Bric.

"Nunca a percepção do investidor estrangeiro foi tão positiva em relação ao Brasil quanto agora", avalia o presidente da Sobeet, Luís Afonso Lima. Segundo ele, essa melhora na avaliação dos estrangeiros deve-se aos bons fundamentos da economia brasileira, que se mantiveram sólidos mesmo em meio à crise econômica global.
Ranking global
Essa visão das empresas estrangeiras em relação ao Brasil fez com que o país subisse quatro posições no ranking dos principais destinos de investimentos no ano passado.

Em 2007, o Brasil ocupava a 14ª posição nesta lista, com investimentos de US$ 34,6 bilhões. No ano passado, o Brasil subiu para a 10ª colocação, recebendo o ingresso de US$ 45,1 bilhões.

Economias sólidas com as da Alemanha, Canadá e Itália, por exemplo, perderam posições e ficaram atrás do Brasil em 2008. E de acordo com a Unctad, o Brasil deve melhorar ainda mais nesse ranking e atingir o 4º lugar até 2011.

Para Lima, o Brasil deve encerrar este ano recebendo um fluxo de US$ 25 bilhões. "O valor é menor que os dos dois últimos anos, mas superior aos de outros países, que estão caindo tanto ou mais que nós", explicou o presidente da Sobeet.

Uma outra característica do Brasil ressaltada no estudo é que o aumento do IED em 2008 superou o crescimento dos investimentos das empresas nacionais no país, ao contrário do que ocorreu no restante do mundo.

No Brasil, enquanto o IED aumentou 30,3% de 2007 para 2008, o investimento de empresas nacionais na Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) cresceu 13,8%. "Os outros estão vendo o Brasil com um olhar mais favorável que os próprios brasileiros e, além disso, para o resto do mundo, a previsão de crescimento não é tão boa", analisou o presidente da Sobeet.

Não esqueça de comentar, a sua opinião é muito importante.


-----------------------------------------------------------

Apoio:



English Version- Brazil gains space and reaches the 10th place in the investor's preference.

The Foreign Direct Investment (FDI) in Brazil increased 30.3% in 2008 (U.S. $ 45.1 billion). The world average was down 14.2% (U.S. $ 1.697 trillion). The country has come to occupy the 10th position in the world ranking of capital inflows.

The conclusion is on report about the volume of Foreign Direct Investment (FDI) in the world in 2008, prepared by the Brazilian Society of Transnational Corporations and Economic Globalization (Sobeet). This data are from the United Nations Conference on Trade and Development (UNCTAD).

Among the developed economies, the flow of FDI was contracted by 29.2% to $ 962.3 billion. For developing economies, the flow of investments increased 17.3% to $ 620.7 billion, and for Latin America, the growth was 13.2% to $ 144.4 billion.
Internationalization

The report also said that Brazil became last year the most globalized economy of the BRICs. group of group of countries including Russia, India, China, and Brazil.

The ratio of the stock of FDI held and Gross Domestic Product (GDP) of each country, Brazil has the best ratio of 18.3%. It was the first time the country surpassed Russia in attracting investments relative to their GDP. Russia, which previously led the rankings, had investments amounting to 12.7% of its gross domestic product in 2008.

Investments in India meet the proportion of 9.9% of its GDP and China, 8.7%. According to UNCTAD, the average foreign investment in the world relative to global GDP is 26.9%, which indicates that there is considerable growth potential for Brazil and other BRIC countries.

"Never the perception of foreign investors was so positive about Brazil and now," said the president of Sobeet, Luís Afonso Lima. He said that improvement in the evaluation of foreigners due to the good fundamentals of the Brazilian economy, which remained strong even amid the global economic crisis.
Overall Ranking

This view of foreign affiliates in Brazil led the country to rise four positions in the ranking of the major investment destinations last year.

In 2007, Brazil ranked 14th in this list, with investments of U.S. $ 34.6 billion. Last year, Brazil has moved up to 10th place, receiving the inflow of U.S. $ 45.1 billion.

Strong economies with those of Germany, Canada and Italy, for example, lost their positions and were behind Brazil in 2008. And according to UNCTAD, Brazil should further improve the ranking and reach the 4th place by 2011.

For Lima, Brazil should end this year receiving an $ 25 billion. "The value is lower than the last two years, but higher than those of other countries that are falling as much or more than us," explained the president of Sobeet.

Another characteristic of Brazil is highlighted in the study that the increase in FDI in 2008 exceeded the growth of investment by domestic firms in the country, unlike what happened in the rest of the world.

In Brazil, while FDI increased 30.3% from 2007 to 2008, the investment of domestic enterprises in the Gross Fixed Capital Formation (GFCF) grew 13.8%. "Others are seeing Brazil with a more favorable than the Brazilians themselves and also for the rest of the world, the growth forecast is not as good," he said the president of Sobeet.

0 Comentários:

Postar um comentário

Um bom blog não se faz pela quantidade e sim qualidade de seus leitores, só comente quando você realmente ler a postagem.

Deixe seu link no final do comentário caso queira me mostrar o seu blog, irei visitar, comentar e se gostar seguirei também.

Siga-me no Twitter: @c_hercules

TOP 10 POSTAGENS MAIS LIDAS

Receba nossos artigos por e-mail:

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More